Politica

19/03/2020 17:18

'Dias piores virão', afirma secretário da Saúde sobre o coronavírus

Secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo afirma que é bem provável que o coronavírus já esteja circulando em Mato Grosso e alerta que “dias piores virão”. Dois casos já foram confirmados pela rede particular de saúde, sendo um em Cuiabá na segunda-feira e outro em Rondonópolis nesta terça-feira. O Estado ainda não reconhece oficialmente estes casos porque os exames não foram feitos em laboratórios referência. 

 

“Em que pese não tenhamos ainda, de forma protocolar, nenhum caso confirmado é muito provável e possível que já tenhamos o vírus circulando no Estado. Isso é uma tendência lógica que vai ocorrer. É uma questão de horas, uma questão de dias, mas vai ocorrer e os casos vão aumentando paulatinamente conforme os dados estatísticos que temos hoje do comportamento do vírus”, explica Figueiredo.

 

O secretário afirma que no momento o necessário é se preparar para a segunda fase, que é a da mitigação, quando já houver a circulação do vírus no Estado. “Vamos ter uma elevação crescente de casos suspeitos, vamos ter os primeiros casos que necessitarão de uma assistência mais próxima do Estado, de internação, e é para isso que estamos preparando os hospitais e profissionais de saúde”.

Fake news 

Gilberto destaca que o coronavírus é um assunto que não pode ser banalizado, não é assunto para se brincar. “Porque ele  deixará de ser banal na hora que tivermos a perda significante de alguém da nossa família. Aí ele passará a ser sério”.

 

O secretário destaca que a população, culturalmente, dá mais importância a informações de “um leigo ao seu lado” do que às informações oficiais, de especialistas, de órgãos oficiais de controle e que estão à frente deste grande desafio. “Estou me referindo ao Ministério da Saúde, boletins das secretarias de Estado. Mas a população parece que prefere não ouvir aquilo que é sério”.

 

Outra cobrança é em relação ao comportamento social neste momento. O secretário enfatiza que a população precisa levar isso a sério, evitar aglomeração em qualquer lugar. “Aqueles que puderem ficar em casa que fiquem, que puderem adotar todo protocolo da etiqueta respiratório, que façam isso com regularidade. Aqueles que puderem atender o chamamento para vacinação da Influenza, que vai começar no dia 23, façam isso, principalmente os grupos de risco, profissionais de saúde”, destaca. “A população precisa fazer sua parte. Com certeza, mais de 80% da população sequer será infectada, sequer terá um caso grave e um caso leve, mas vamos ter que separar nossas forças para enfrentar aqueles casos que possam ser considerados graves e vamos precisar da força da população para entender que não é congestionando as unidades de saúde, os hospitais que estão sendo preparados, que vai ajudar”.

 

O secretário destaca que a autoavaliação, antes de ir para um hospital, já é uma forma de ajudar. O Ministério da Saúde já disponibiliza um aplicativo que ajuda nesta autoalivação.

 

“Esses próximos 30 dias serão muito decisivos para avaliar se o país está ou não está preparado para enfrentar uma pandemia dessa natureza. Vamos, nos próximos meses, ter uma confluência, conjunção das ações de diversos vírus, temos incremento do vírus da influenza forte já a partir de abril, os casos de dengue. Isso vai trazer um desconforto à população. Dias piores virão, mas se estivermos preparados com tranquilidade para enfrentar esse desafio nós vamos passar por ele. Tenho certeza que o país vai enfrentar essa epidemia e sairá muito mais forte”.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo